Blog

Como calcular o custo real do produto

11/05/2017

Este post irá abordar a composição do custo do produto adquirido. No Brasil existem muitos impostos, alguns recuperáveis e outros não, por isso, muitas vezes definir corretamente o custo do produto se torna uma tarefa árdua.

Chegar ao custo real do produto não é uma tarefa tão simples como deveria ser.

No Brasil existem diversos tributos e sistemas de compensação que tornam árdua a tarefa de calcular o custo real de um produto.

Porém é tarefa básica de todas as empresas que desejam precificar suas mercadorias de maneira coerente e consequentemente obterem o tão desejado lucro.

Neste post vamos abordar de forma genérica a composição do custo do produto, sem entrar nas particularidades de cada estado e regimes tributários.

 

Fator de conversão

Como dizem, vamos começar pelo óbvio, pois mesmo sendo óbvio precisa ser dito.

É comum nas notas de compras que chegam dos fornecedores, produtos comercializados em outro tipo de unidade de medida, diferente daquela que sua empresa adotou como unidade de gerenciamento de estoque e venda.

Por exemplo, seu fornecedor envia produtos em caixa, porém sua empresa realiza a venda em unidade. Nestes casos, o primeiro passo será estabelecer o fator de conversão de unidades, dizendo neste exemplo, que cada caixa contém 10 unidades.

Esta conversão é necessária para que você saiba exatamente qual é o custo unitário do seu produto vendido.

 

Composição do custo

Será importante saber qual é o regime tributário que sua empresa está enquadrada (Simples, Lucro Presumido, Lucro Real), pois existem grandes mudanças no cálculo conforme o regime da empresa.

Importante aspecto no cálculo do custo, é entender o funcionamento dos tributos inclusos, que basicamente são de dois tipos: impostos recuperáveis e não recuperáveis.

Os impostos recuperáveis são aqueles que trabalham no sistema débito/crédito, ou seja, que sua empresa poderá abater do imposto a pagar.

Os impostos não recuperáveis são aqueles que sua empresa irá pagar na compra do produto, porém não terá nenhum tipo de compensação posterior e deverá incluir como custo de aquisição.

Para fins de exemplo, iremos utilizar agora o sistema de débito/crédito de ICMS, imposto recuperável.

Supondo que um produto foi adquirido em São Paulo por R$ 100,00, ICMS incluso de 12%, IPI incluso de 10% e o frete representa 3%, teremos:

Composição

Valor

Observação

Preço unitário

100,00

Valor da mercadoria

(-) Descontos

0,00

 

(-) Impostos recuperáveis

12,00

ICMS de aquisição

(+) Impostos não recuperáveis

10,00

IPI por exemplo

(+) Frete

3,00

 

(+) Seguro

 

 

(+) Outros custos

0,00

 

(=) Custo da mercadoria

101,00

 

 

Utilizando outro exemplo, agora utilizando o regime de substituição tributária – ST.

Composição

Valor

Observação

Preço unitário

100,00

Valor da mercadoria

(-) Descontos

0,00

 

(+) Impostos não recuperáveis

10,00

IPI por exemplo

(+) Fretes

3,00

 

(+) Seguros

0,00

 

(+) Substituição tributária

15,46

Valor da ST

(=) Custo da mercadoria

128,46

 

 

Automatizando sua empresa

Certamente é inviável fazer estes cálculos de forma manual para cada nota fiscal/produto recebido.

Por isso destacamos a importância de um bom software de gestão empresarial capaz de automatizar o gerenciamento de conversões de unidades e fazer o cálculo do custo automaticamente através do arquivo XML (nota fiscal) importado.

Nosso software ERP Almmati Gestor possui fórmulas dinâmicas para cálculo de custo e preço, e por isso contempla todos os regimes tributários e necessidades de automatização.

Desta forma, sua empresa terá a segurança e rapidez nos cálculos, transparência para compreender a composição do custo/preço.

 

Estes e muitos outros recursos para sua empresa!
Centenas de empresas confiam sua gestão nos softwares e consultorias da Almmati Sistemas.


Clique aqui e solicite uma demonstração. 
Fone: (45) 3035-3587
e-mail: comercial@almmati.com

 

Veja também:

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO